terça-feira, 14 de abril de 2009

Dias das Mães? Eu Não Tenho Filhos...


As mulheres que optaram por não ter filhos ou por não casar, acabam virando mães de muita gente.


O fato é que as não-mães e as solteiras por opção, ainda são vistas como mulheres à parte. As que não puderam ter filhos contam com a solidariedade das outras. Mas as que optaram por não tê-los ou por não se casar, são vistas como criaturas exóticas e imaturas, não raro egoístas.


Em um mundo cheio de parquinhos, carrinhos, bichinhos, amiguinhos -esse vasto mundo no diminutivo-, quem não tem filhos se sente desajeitada, alguém que não se encaixa. Talvez por isso algumas mulheres tenham comportamentos excêntricos para compensar a não-maternidade.


Por outro lado, ou até do mesmo lado, num mundo onde os homens são uns canalhas, mulherengos, viciados em trabalho, cerveja e futebol; por que tanta gente insiste em que a mulher que teve a coragem de optar por ser “solteira sim e feliz, muito obrigada”, se casem?


Num mundo, onde as amigas se queixam tanto de problemas no casamento, porque as solteiras precisam conviver quase que diariamente com este tipo de cobrança? Por que devem ser olhadas com olhos que dizem:” Coitada... sozinha...” .


Sozinha? Vocês é que pensam!


Estes dois grupos de mulheres, geralmente muito bem resolvidas, de sozinhas não tem nada. Acabam adotando tantas pessoas, que se tornam muito mais mães do que muitas mães de fato. E mais, muitas vezes ainda encontram tempo para si mesmas. Delícia!


Como são teoricamente mais disponíveis, acabam virando mãe de muitas pessoas: dos sobrinhos, dos filhos dos outros, dos pais, dos irmãos que têm problemas, da diarista...' Ou seja: para que as mães possam ser mães com mais tranqüilidade, é preciso haver algumas não-mães cuidando da retaguarda.


Será que isso lhes dá o direito de sair do restaurante no mês das mães com a rosa vermelha sem sentir culpa?

Claro que sim!


Na dúvida, se você for uma não-mãe, passe numa flori-cultura qualquer dia de maio e se dê de presente um belo buquê de rosas amarelas.


Vocês merecem!


Obrigada por ajudar tanto, tantas pessoas!

4 comentários:

  1. Simone A.A. Silva14 de abril de 2009 14:39

    Mariana, gostei desta matéria!
    E quer saber, eu me sinto uma MÃE!
    Eu cuido do meu marido, do meu gato (Romeu), da casa, etc...e da minha mãe, pois sou filha única e acabo que resolver algumas coisas pra ela!
    Podemos dizer que nós somos a SUPERMÃE (mesmos aquelas que não tem filhos ou solteiras).

    Simone A.A. Silva

    ResponderExcluir
  2. Pois é Si, é isso mesmo. Conheço várias mulheres da igreja que não são casadas ou não tem filhos, e cuidam de muitas pessoas, não só revolvendo pequenos problemas do dia a dia, como também aconselhamentos, um bom ombro, um ouvido amigo, um abraço...

    ResponderExcluir
  3. Gostei desta matéria! Me identifiquei!
    Obrigada Meninas!

    ResponderExcluir
  4. Mariana,bom dia !
    Você não sabe o quanto o meu coração ficou feliz e aliviado ao ler essa matéria. Pois sou solteira e tenho 35 anos.Hoje, ajudo meus pais que são as pessoas que mais amo nesse mundo, pois estão com idade avançada. E me sinto "mãe" deles e de muitas outras pessoas. Por isso no mes de maio irei me presentar. Um grande abraço e obrigada !

    ResponderExcluir